O que aí vem no fim do mês é Brutal

Os cortes brutais que a totalidade dos trabalhadores do sector ferroviário vai sentir, no fim do mês, sobretudo, aqueles, cujos montantes de vencimento não atingiam os 1500€ e que, pela 1.ª vez, vão experimentar a redução dos salários, e os que, auferindo salários de 1500€ a 2000€, tinham os cortes percentuais mais baixos são insustentáveis.
Estes cortes brutais acontecem numa altura em que governo e comunicação social tentam uma lavagem dos cérebros dos portugueses, fazendo crer que estamos a assistir a um milagre económico e que o País caminha para um futuro radioso.
Mais pobres, mas melhores economicamente, ou seja, querem fazer crer que vamos viver melhor quanto mais miseráveis nos tornamos.
O Sindefer apoiará as iniciativas que combatam estas políticas, que exijam eleições antecipadas, única forma de impedir a destruição de tudo o que ainda nos resta. O Sindefer lutará para que os portugueses não sejam um povo miserável, mesmo quando votam, para a AR e PR, em quem os quer miseráveis.
Voltar atrás