Sempre que a Luta for de todos diremos Presente!

No período de contestação ao governo Sócrates, que terminou com a sua queda e a convocação de eleições antecipadas que deram origem à actual maioria e ao actual governo, o Sindefer sempre alertou que nada de bom daí viria para os trabalhadores, caso se mantivesse a irredutibilidade de se negociar os chamados PEC.

Posição que o Sindefer manteve "contra ventos e marés", o que não foi bem acolhido pela generalidade dos trabalhadores do sector e por alguns associados do sindicato.
O Sindefer sabia que estava a "remar contra a maré" mas não desistiu de o fazer. Constatou-se mais tarde que tínhamos razão! A queda do anterior governo (PS) e a sua substituição pela direita (PPD+CDS), com o inequívoco apoio do PR, traduziu-se no maior ataque aos Direitos dos Trabalhadores que há memória neste país. Só na Ditadura se foi mais longe.

O Sindefer lembra que a queda do anterior governo aconteceu porque a "austeridade era muita" e que as novas eleições serviam para abrir novos caminhos que acabassem com a "austeridade excessiva". A maior parte das organizações de esquerda caiu na esparrela!
Apesar de não termos contribuído para a "esparrela" logo que se decretaram Greves e Manifestações para combate ao governo de “direita” o Sindefer participou activamente.

Infelizmente temos vindo a constatar que as organizações que mais se destacaram na luta, contra o anterior governo, passaram a uma atitude de grande concertação com a “direita” e "desapareceram" da contestação, passando a subscrever acordos. Quem os viu “lobos” contra um governo de centro-esquerda e agora tão “cordeiros” para um governo neoliberal!
O Sindefer não se admira com este comportamento. Há muito que consideramos que o movimento sindical corporativo nada de bom trouxe e para quem tinha dúvidas e as mantém é porque anda distraído ou está de má-fé.

O Sindefer considera, neste momento, que o rumo a seguir é aproveitar o período eleitoral, Europeias, Legislativas e Presidenciais, para derrotar a direita neoliberal, tal como esta as utilizou para esmagar os Direitos dos Trabalhadores. São os votos que contam por muito que os abstencionistas e outros populistas façam crer o contrário.
Há que Expulsar os Vendilhões do Poder!

Temos o maior respeito pelo pré avisos de greve da Fectrans/SNTSF mas não vamos continuar a subscrever isolados quando boa parte das organizações corresponsáveis pelo desastre em que vivemos estão tranquilamente a “concertar” os interesses dos trabalhadores.
Os Trabalhadores do Sector devem pedir responsabilidades a essas Organizações.
Sempre que a Luta for de todos diremos Presente!

O Secretariado Nacional
Voltar atrás