Ramalho avaliza ataque ao governo

Portugal transmite um sinal "preocupante" quando o novo governo manifesta a vontade de reverter as concessões dos transportes, avisa Sérgio Monteiro

“Reverter as concessões dos transportes é deitar fora investimento estrangeiro”. Sérgio Monteiro, antigo secretário de Estado dos Transportes, criticou, desta forma, a intenção do novo governo de reverter as concessões dos transportes públicos de Lisboa e do Porto.

O agora coordenador da venda do Novo Banco falava, esta segunda-feira, na conferência do 4.º Aniversário do Dinheiro Vivo, que discute o papel das empresas na recuperação da economia. Sérgio Monteiro evitou responder à questão sobre que custos terá para os contribuintes a reversão destas concessões, mas enfatizou que, quando o novo governo manifesta a vontade de reverter as concessões, o país passa um sinal “preocupante”.

“Não precisamos de rasgar contratos para melhorar aspetos das negociações que foram feitas”, salientou. “Transmitir a imagem de um país que rejeita investimento direto estrangeiro é um salto que devia ser dado com grande cautela”, concluiu.

O anterior governo atribuiu as concessões dos transportes rodoviários da STCP e o Metro do Porto à Alsa e à Transdev, respetivamente. Já a concessão da Carris e do Metro de Lisboa ficará a cargo da CET – Corporación Española de Transporte.


Aqui
Voltar atrás