A taquibérnia da MdP

Há coisas verdadeiramente esquisitas que não dá sequer para entender quanto mais aceitar e ficar calado.

A EMEF, desde 01 de Janeiro de 2015, que tem por sua conta e risco a manutenção da frota do material circulante da MdP, pelo qual perde todos os dias milhares de euros, porque o governo de Passos Coelho assim o impôs.

Não contente impediu a empresa de admitir pessoal para poder assegurar trabalho, ou seja, ter 72 veículos para assegurar a manutenção não é condição para admitir pessoal, fica tudo temporário, porque os contratos entre a EMEF e a MdP são por 3 meses!!!

O governo socialista tomou posse e o que fez?
Manteve tudo igual até que, para preparar o concurso público para escolha de um novo Operador, resolve manter a Barraqueiro, por mais dois anos, e aceita tacitamente que o preço a pagar, por esta, pela manutenção da frota seja ainda mais baixo que o estipulado no anterior ajuste directo com a Transdev, negociata do anterior governo, que o governo socialista anulou e muito bem.

Alguém pode compreender isto?
O Secretário de Estado devia saber que esta traquibérnia não é legitima, porque Fiscalista de profissão e filho de alguém que teve seis anos à frente do Tribunal de Contas.

Era sua obrigação garantir, no mínimo, que à EMEF não pode ser exigido que continue a ter prejuízo para manter a frota do MdP. Caso assim não seja o que acontece é uma passagem de valor para a Barraqueiro à conta de dinheiros públicos!!!

Saberá o Secretário de Estado o buraco em que se está a meter e a meter o governo?
Voltar atrás