SINDEFER

Sindicato Nacional Democrático da Ferrovia

Acordos EmpresaBreve HistorialEstatutosHistóricoContactos

 

 
Quando metem fontes anónimas sai noticia a pedido!

As causas estão, pois, por apurar e tanto podem ter origem numa eventual falha da manutenção como em motivos excepcionais impossíveis de prever. Pedro Conceição, engenheiro especialista em manutenção ferroviária, que já foi quadro da EMEF, disse ao PÚBLICO que "um rolamento gripar é um fenómeno que pode acontecer a qualquer momento, mesmo quando a manutenção é perfeita e até pode acontecer com rolamentos novos... basta que tenham um defeito de fabrico ou sido sujeitos a mau manuseamento". Daí a importância dos sistemas de detecção de caixas quentes que estão colocados ao longo da via férrea e que identificam aumentos de temperatura dos rodados à passagem dos comboios.
Pedro Conceição deu a cara, fala verdade!

Já no que toca à parte em que falam os "anónimos" estes, pelo contrário, estão sempre prontos a atirar as culpas para cima dos outros e a dizer o soprado por alguém.

"Fontes da EMEF contactada pelos PÚBLICO, mas que pediram o anonimato, reconhecem que há já vários anos que a logística da empresa não consegue responder às solicitações de peças e que a sua falta é transversal a todas as oficinas da empresa. A EMEF tem 11 oficinas em todo o país, mas a falta de sobressalentes é maior nas oficinas onde se fazem grandes reparações.

Mistificadora a afirmação dos "anónimos"! A compra de sobresselentes estratégicos e de peças de parque, dependem de decisão da CP e envolvem milhões de euros imobilizados. Não é uma decisão simples, sobretudo em tempos de crise, e, por isso, são normalmente insuficientes e causadores de atrasos nas grandes reparações. Não depende da EMEF a sua compra, logo a Logística nada pode fazer. No que toca a materiais de responsabilidade de compra EMEF, por exemplo, os normalmente utilizados na UMAV, eles existem, o problema é quando não são utilizados por indisponibilidade de mão de obra ou consequência de intervenções cada vez menos consistentes, qualquer dia só há V5.
Fui Director de Logística, até 30 de Novembro passado, sei melhor que os "anónimos" o que se passa, sobretudo quando vão à particularidade de referir "há já vários anos". Sei bem onde querem chegar!

Os anónimos que se preocupem-se com isto:
"Por outro lado, as equipas trabalham sob forte pressão para libertar rapidamente os comboios imobilizados o que pode levar a decisões erradas como, por exemplo, colocar um rolamento que já ultrapassou o limite expectável de vida."

Nota final
O veio incandescente foi detectado em Aveiro. Este facto é decisivo, mas não aparece em lado nenhum da notícia, aparece a Logística! Eu sei porque é que o jornalista faz isto, apesar de saber bem que assim foi...

Francisco Fortunato

Leia aqui
Voltar atrás