SINDEFER

Sindicato Nacional Democrático da Ferrovia

Acordos EmpresaBreve HistorialEstatutosHistóricoContactos

 

 
Alguém, na CP/EMEF, anda a tramar o Governo...
Tenho a sensação que alguém, na CP/EMEF, anda a tramar o Governo e o primeiro-ministro, ou, então, os responsáveis andam completamente à nora.

A CP/EMEF, recorde-se que as administrações são as mesmas, considerou agora que podia adiar, nas UTE 2240, por mais 10 meses, a revisão geral dos bogies (revisão fundamental para a segurança do comboio), passando de 1.700.000kms para grosso modo 2.000.000kms. A CT da CP e a da EMEF dizem que não há problema algum com este adiamento. Francamente não conhecia esta capacidade técnica das CT,s, mas passamos adiante e voltamos ao importante em quatro questões.

Primeira questão que se impõe: porque não tomou a CP/EMEF esta decisão, a de adiar a intervenção da revisão geral, antes de começar a imobilizar os comboios, evitando assim sérios problemas com os Utentes, sobretudo no regional de Tomar, que obrigaram à intervenção da polícia, à revolta de passageiros, aos bloqueamentos de portas, à imobilização forçada dos comboios nas estações, etc. etc.?

Segunda questão, face à primeira, é: se o adiar da intervenção para os 2.000.000km resulta de uma análise técnica aprofundada, ou é um expediente arranjado à pressa para adiar o problema, evitar a contestação das populações durante 10 meses, para depois das eleições...

Terceira questão é: se tudo isto é seguro, e admito que seja, porque então não explica a Administração da CP todo o processo de adiamento da intervenção, em vez de deixar andar o caso na comunicação social e ser as CT,s a defenderem o adiamento publicamente, o que as pode deixar muito mal colocadas, caso aconteça algum imponderável?

A quarta questão é: o que diz o IMT a isto tudo? IMT que até foi avisado das pressões existentes...

São questões que coloco, tendo os conhecimentos necessários para saber o que está em causa.

Ler aqui
Voltar atrás